A área financeira é decisiva para uma concessionária, as atividades do dia a dia devem não apenas ser bem organizadas e integradas, mas também estratégicas.

Boa parte das tarefas envolve uma rotina operacional intensa, e que por falta de tempo ou sobrecarga de trabalho, pode impedir avanços estratégicos.

Você conhece seu ciclo operacional? Sua liquidez corrente? Seu prazo médio para recebimento? Vamos abordar estes e outros indicadores financeiros para a gestão da sua concessionária, além de disponibilizar uma planilha gratuita para você calcular quando quiser.

Neste artigo você encontrará um pouco sobre o dia a dia de um gestor financeiro na concessionária, e sobre como usar estes 8 indicadores financeiros (se ainda não usa) pode te dar novos, e melhores caminhos na sua gestão.

As responsabilidades envolvidas

Preocupar-se com as contas a pagar e a receber, determinar o lucro em cada período e planejar o uso e a distribuição dos recursos de maneira adequada são apenas algumas das atribuições do gestor financeiro de uma concessionária.

Esse profissional também é o responsável por administrar as aplicações financeiras, transações bancárias e a disponibilidade geral dos recursos.

As informações financeiras elaboradas são ferramentas poderosas, usadas para a criação de análises (como o próprio fluxo de caixa), relatórios, a elaboração de vários demonstrativos que avaliam a lucratividade do negócio como um todo. Estes diferentes relatórios, em conjunto com os objetivos estratégicos do negócio, é que norteiam diversas decisões sobre o futuro da empresa.

O alinhamento financeiro, com os principais objetivos, podem ser melhor estruturados por meio da análise de indicadores financeiros para a gestão da sua concessionária que sejam chaves para o sucesso do negócio.

Não é de se admirar que o gerente financeiro frequentemente participe de reuniões com gestores de outras áreas e tomadores de decisão, para a divulgação de resultados e a definição de estratégias.

Desafios enfrentados pelo gestor financeiro

Manter as finanças de uma concessionária em equilíbrio, por si só já é um grande desafio. Por isso queremos aprofundar um pouco mais esta questão e procuramos citar abaixo algumas das principais dificuldades vivenciadas:

Atender a demandas simultâneas

Uma concessionária é composta por diversos setores, exercendo atividades que envolvem desde o planejamento de ações até o atendimento ao cliente. Todos esses departamentos possuem demandas específicas e, principalmente, compartimentadas. Isso significa que precisaremos de um orçamento diferente para cada departamento.

É extremamente complicado equilibrar as necessidades de todos os setores, estabelecer limites, e definir o que priorizar para cada momento.

Eliminar riscos e imprevistos

Planejar as movimentações financeiras e garantir que o fluxo de caixa esteja de acordo com a realidade, também é responsabilidade do gestor financeiro. Inclui-se nisso, prever todas as entradas e saídas efetivas, bem como as possíveis previsões ao longo do período.

Mas não se engane, isso tudo pode não ser simples.

A inflação e a taxa de juros do Brasil dificultam ainda mais identificar e mensurar com assertividade os cenários a médio e longo prazos.
É um verdadeiro desafio ser capaz de fazer essas previsões visualizando com clareza a situação futura para garantir que nenhum imprevisto prejudique o fluxo de caixa.

A presença do gestor financeiro na retaguarda, mesmo que por vezes passe despercebida entre as estrelas das vendas, é muito, mas muito importante. Não se pode esquecer que é por meio da organização proporcionada por ele que a empresa pode operar no seu máximo com segurança e estabilidade financeira.

Use a tecnologia a seu favor

Muitos já usam a tecnologia desde o Google agenda até como principais ferramentas de trabalho do cotidiano. Sim, é claro, tudo isto exige adaptação. Mas nesse tópico nos referimos não apenas na missão de se manter atualizado, e sim estar preparado para identificar janelas e oportunidades que podem mudar ou facilitar toda a forma de gerir e alocar recursos em sua concessionária.

A tecnologia alinha seus processos, permite encontrar caminhos que antes pareciam nem existir.

Apoiar a tomada de decisão

Desenvolver um planejamento assertivo está diretamente ligado ao fato de que as informações geradas a partir destes trabalhos são ferramentas importantes, e consideradas nas tomadas de decisões.

Para que o gestor financeiro possa desempenhar um trabalho excelente, é fundamental conhecer mais sobre o histórico do seu mercado, o funcionamento dele, e gerar informações com clareza para a diretoria.

Indicadores Financeiros para transformar a sua gestão

Falamos no post Como ser uma das melhores concessionárias de 2018, sobre a melhora nas perspectivas do mercado automobilístico em 2017, e o horizonte esperado para 2018.

Ao que indicam os especialistas a crise ficou para traz, o consumidor encontra mais segurança, e tranquilidade para renovar as frotas de veículos adquiridos em 2012/2013.

O crescimento esperado para o mercado automobilístico é de cerca de 7%.

Toda concessionária ligada neste cenário, e com um consumidor B2C cada vez mais exigente, deve ter em mente a excelência de seus produtos e serviços.

A preocupação com a longevidade e competitividade pode estabelecer mudanças significativas na forma de gerir ou pensar.

E é em meio a este caos que o profissional financeiro se torna um dos pilares principais, fazendo um planejamento de saídas e entradas eficiente e, com inteligência, extrair o melhor das informações disponíveis para criar indicadores financeiros para a gestão da sua concessionária.

A análise de indicadores financeiros é uma maneira eficaz e precisa de medir a saúde financeira da empresa.

Quais indicadores financeiros devem ser medidos e acompanhados?

Por meio da coleta e análise de dados relevantes, é que se cria uma estratégia eficaz. Primeiro selecione o que é mais importante acompanhar de perto conforme a sua realidade.

Defina suas prioridades para que ao medir os indicadores, e acompanhar a sua empresa ao longo do tempo, possa identificar padrões e avaliar o que deve ser mudado, e funciona melhor para você.

Não se engane, dados podem se tornar informações, e as informações análises. Mas quem deverá definir o funcionamento da análise é você. Não basta ter planilhas e mais planilhas, ou um sistema se ele não entrega para você informações com facilidade e clareza.

Fazer o registro das informações corretamente, agrupá-las e fazer análises é apenas o início para uma tomada de decisão mais eficiente.

Existem diferentes indicadores financeiros para cada uma das principais categorias.

É importante que você avalie quais deles são mais interessantes para a sua concessionária, e que comece a utilizá-los para tomar atitudes assertivas e acompanhar a evolução ao longo do tempo.

Vamos lá.

Transforme a sua gestão financeira

Os indicadores financeiros podem ser separados em quatro categorias principais, conforme o objetivo final da análise.
As quatro principais categorias são:

Indicadores de rentabilidade

A partir destes indicadores é possível reconhecer os lucros da empresa em relação as vendas, ativos e capital investido.
Esses indicadores podem ser usados especialmente para comparar o desempenho da concessionária em diferentes períodos.

Indicadores de estrutura de capital

Mostra o endividamento da empresa. São fundamentais para identificar o nível de endividamento da empresa como um todo considerando diferentes períodos, sua eficácia na geração de caixa futuro e a cobertura de juros e dívidas.

Indicadores de liquidez

Evidenciam o quanto a empresa é capaz de cumprir as obrigações de curto e longo prazo dentro dos vencimentos.

Indicadores de atividade

Analisam a velocidade com que as operações, finanças, estoque são movimentadas/transformadas em vendas/caixa.

Abaixo selecionamos 8 indicadores para você, e no final uma planilha gratuita para você preencher com seus dados e incluir nas análises da usa concessionária!

Indicadores financeiros para a gestão da sua concessionária

A liquidez é a velocidade ou a facilidade com que um ativo pode ser convertido em dinheiro. A liquidez de uma empresa é medida pela sua capacidade de cumprir as obrigações à medida que vencem.

Liquidez Geral

Mostra a sua capacidade de pagamento de longo prazo:

LG = AC+ARL

         PPC+PNC

LG: Liquidez Geral
AC: Ativo Circulante
ARLP: Ativo realizável a longo prazo
PC: Passivo circulante
PNC: Passivo não circulante

Não se considera todo o ativo total porque existem itens no ativo que não se tornarão dinheiro, como imobilizado e intangível, por exemplo.

Liquidez Corrente

Mostra a sua capacidade de pagamento de curto prazo:

LC = AC

         PC

LC: Liquidez corrente

AC: Ativo circulante

PC: Passivo circulante

O índice de liquidez, de forma geral deve ser superior a 1, sendo capaz de cumprir todas as obrigações existente no próximo ano.
Vale dizer que não é interessante que este indicador seja muito maior que 1, pois os valores em caixa ou banco poderiam estar aplicados em opções de longo prazo.

Para as concessionárias vale citar que se deve ter atenção também, em especial para a conta de estoques, pois a quantidade de veículos varia conforme seu tempo de pátio médio, e isto pode mascarar o índice de liquidez corrente.

Liquidez Imediata

Este índice leva em consideração, apenas as disponibilidades (caixa e bancos) para determinar a capacidade de pagamento:

LI= Disponivel

           PC

LI: Liquidez Imediata

Disponível: Conta caixa e bancos

PC: Passivo Circulante

Esta é a forma conservadora de identificar as suas capacidades de pagamento de curto prazo, pois considera apenas o que é ou pode facilmente ser convertido em dinheiro.
Na prática, este índice dificilmente será maior que 1. E realmente não é necessário que seja.

Prazo médio de estocagem

O prazo médio de estocagem identifica desde a entrada até a saída o tempo que suas peças ficam na concessionária. Até serem vendidas, ou usadas nas ordens de serviço.

PME = (Estoque médio / Custo da Mercadoria Vendida) x 360

Fique atento a este indicador, pois ele pode ajudar a identificar um giro de estoque ineficiente.

Prazo médio de recebimento

O prazo médio de recebimento é o índice que mostra o tempo que você demora para receber as suas vendas:

PMR = Soma de (todos os prazos de recebimento x valor das obrigações) / soma dos valores das obrigações.

Oferecer prazos e condições de pagamento para os seus clientes é uma estratégia eficiente para as vendas, mas precisa estar alinhada com o pagamento para não ocasionar problemas no seu fluxo de caixa.

Prazo médio de pagamento

O prazo médio de pagamento mostra a quantidade média em dias que a empresa demora para pagar os seus fornecedores.

PMP = Soma de (todos os prazos de pagamento x valor das obrigações) / soma dos valores das obrigações

Quanto maior for o seu prazo médio de pagamento, melhor para o caixa da concessionária. Assim você vende, recebe, e paga as suas dívidas sem depender de outras fontes de capital.

Ciclo Operacional

Este índice mostra o período entre a data da compra até o recebimento do pagamento feito pelo cliente:

CO= PME + PMR

              PC

CO: Ciclo Operacional

PME: Prazo médio de estocagem

PMR: Prazo médio de recebimento

PC: Passivo circulante

Para calcular este indicador deve-se calcular o prazo médio de estoques, somado ao prazo médio de recebimento e dividir pelo passivo circulante.

Prazo médio de estocagem é considerado o período médio em que os materiais usados na oficina ou vendidos no balcão ficam na concessionária.

Ciclo Financeiro

O Ciclo Financeiro identifica o tempo entre o pagamento a fornecedores e o recebimento das vendas.

CF = CO – PMP

CF: Ciclo financeiro

CO: Ciclo operacional

PMP: Prazo médio de pagamento

Quanto menor for o Ciclo Financeiro, melhor será para a saúde financeira da sua concessionária.
Busque bons prazos com seus fornecedores, esta negociação pode poupar dores de cabeça quanto ao fluxo de caixa.

Capital circulante líquido

O índice de capital circulante líquido mostra a diferença que as expectativas de geração de caixa, em comparação com as dívidas e obrigações a serem cumpridas no próximo ano.
Ele vai te mostrar qual o valor que há de folga, ou não, para o seu planejamento ser bem sucedido.

CCL = AC – PC

CCL: Capital circulante líquido
AC: Ativo Circulante:
PC: Passivo Circulante

Com esses indicadores em mãos, fica muito mais assertivo visualizar a saúde financeira da sua concessionária. A correção de falhas e a reestruturação de estratégias se torna muito mais simples e certeira. Com o passar do tempo, os erros tendem a diminuir de maneira significativa e os resultados positivos passam a chegar com muito mais fluidez.