As concessionárias possuem tecnologia para oferecer qualidade diferenciada nos veículos da bandeira que representam, porém na prática, há veículos no estoque de usados que são de outras marcas no pátio também.

Esses veículos precisam de manutenção, inspeção e checagem, e tudo isso deve ter um processo claro e organizado. Os veículos em estoque devem ser conservados para que alcancem condição possível para fazer as melhores negociações.

Lindo…  Mas e ai, a questão é:

Como fazer esse processo funcionar?

Manutenção de veículos em estoque pode ser feita na própria concessionária ou em terceiros. São processos diferentes, e que devem estar organizados e bem definidos para você saber lidar com isso.

Neste post vamos falar das etapas que envolvem todo esse trabalho, e oferecer um material ilustrado do processo na prática.

E tudo começa assim…

Quanto vale este veículo? A avaliação do usado é o ponto onde começa essa conversa.

Esta pergunta é mais complicada do que parece num primeiro momento, pois envolve características específicas de cada veículo.

Além disso, há uma grande quantidade de modelos e opcionais que vão influenciar na hora de determinar o seu valor.

Deve existir um profissional capaz de realizar uma vistoria para determinar o real estado do veículo, e avaliar tudo que a concessionária precisará fazer para vender o veículo.

Este profissional precisa ter habilidade mercadológica para conhecer o modelo específico, a região em que o carro está sendo negociado e até identificar histórico (já foi batido, por exemplo).

Sobretudo quando se pensa na lucratividade é fundamental possuir uma avaliação precisa.

O know-how do profissional conta muito para uma avaliação assertiva.

Quando a concessionária realiza isso, é a avaliação que determina o que deverá ser feito para que o veículo possa ser revendido.

Uma ferramenta que pode dar um ótimo apoio para esse ponto é o Auto Avaliar, que é totalmente integrável ao Sances Turbo DMS.

Considerando a manutenção de veículos em estoque na preparação, vale a pena pegar esse veículo na troca? Se sim, pense no que precisará ser feito e quanto custará, para que a margem seja competitiva e o negócio rentável.

Qual seu tempo de preparação?

Desde o momento em que o veículo chega à concessionária até o momento em que fica pronto para a venda, a um tempo de preparação.

Você tem dimensão do seu tempo de preparação? Você precisa conhecê-lo.

Na manutenção de veículos em estoque, um período de referência para a preparação é de 5 a 7 dias para colocar o carro em oferta no pátio. Esse processo precisa ser ágil.

Como você pretende alcançar um alto giro de pátio, se seus veículos demoram 25 dias para ficarem disponíveis para venda?

As negociações de usados precisam fluir para serem rentáveis.

Não ignore esses prazos, eles podem ser os indicadores que atualmente te faltam para conseguir alcançar a máxima margem possível nos seus negócios.

Fazer toda a manutenção agora ou quando vender?

É uma dúvida bastante comum. Quando um veículo é adquirido pela concessionária é natural que existam manutenções a serem feitas.

A manutenção de veículos em estoque, deve ser feita antes ou depois de vender?

Fazer o que precisa ser feito apenas quando o veículo for vendido, é uma forma de postergar os gastos, mas será que isso é efetivo para a venda?

Você pagaria mais por um automóvel com o para-choque riscado, ou perfeito? Por um carro que está “batendo” ou por um macio e silencioso?

Um “parachoque riscado” é muito mais que isso… Mesmo que você arrume, na cabeça do cliente, o carro é um carro “repintado”, não é “novinho”.

É evidente que essas questões são percebidas pelos clientes, e que tudo isso será observado, por mais leigo que o consumidor seja.

A percepção de valor do cliente é afetada, e isso atrapalha muito o processo de negociação.

“Se encontrei estes problemas, quais mais será que o veículo possui e não fui capaz de perceber?”

“Se está com problema em X parte do carro, quer dizer que vou ter que mexer nisso, naquilo e aquele outro”.

Nossa visão é que este postergar de gastos não é vantajoso.

A manutenção na própria oficina deve ser feita somente em veículos da marca, ou todas as marcas?

Essa é uma questão bem comum, mas que pode ser resolvida com algumas perguntas simples.

Como está a ociosidade da oficina? Se existe capacidade de produção na oficina, esse tempo pode ser muito bem utilizado para fazer essas manutenções.

Agora existe um ponto a pensar… Se existe uma carga de trabalho excedente, vale a pena contratar mais produtivos para executar estes trabalhos?

Nós entendemos que deve existir consistência de demanda para valer a pena fazer isso. Com isso chegamos a outra opção, que é fazer a manutenção dos usados em terceiros.

Além de pensar sobre a capacidade produtiva, vale avaliar a capacidade técnica e o investimento necessário para atender a estas demandas.

Um bom exemplo é o investimento em uma área de funilaria e pintura. Esta só vale a pena se for muito bem explorada para atender a clientes e a veículos de estoque.

Ainda sobre manutenções na oficina da concessionária ou em terceiros, vale lembrar que todos esses custos devem estar vinculados automaticamente, da forma que o Sances Turbo DMS faz. Sem um recurso eficiente para essa situação a área de vendas fica trabalhando em um voo cego. Nos dias de hoje não é aceitável ter que ter controles paralelos para estas situações.

Despesa ou Investimento?

O custo de manutenção de veículos em estoque é um gasto que a concessionária faz para obter um resultado futuro.

Logo ele deve ser observado como um investimento e não uma despesa.

Seu estoque passa a valer mais, você passa a oferecer um produto com maior qualidade e confiança, além de poder dar garantias e definir políticas próprias que fidelizam seus clientes.

A verdade é que muita gente que compra um veículo, especialmente em concessionárias, está procurando um negócio no qual não vá se incomodar. Concorda? PortantoVocê precisa mudar essa mentalidade e perceber que o gasto inicial tem retornos positivos para os seu negócio.

As manutenções são um investimento.

Acompanhamento dos custos em tempo real

Nas manutenções realizadas em terceiros é cobrado um valor pela execução do serviço solicitado.
Qual é esse custo? Você consegue alocar aos veículos certos do seu pátio? Muita gente fala que faz mil coisas para conseguir registrar as manutenções e ter o valor de custo correto, quando uma ferramenta como o Sances Turbo DMS faz isso de uma forma muito simples.

Se quiser saber mais aqui está o vídeo:

 

Eficiência do avaliador

Parece estranho falar de eficiência do avaliador no final desse post?

Entenda o seguinte… Nós só vamos conseguir saber se o avaliador foi eficiente ou não quando veículo foi vendido. Após a venda vamos saber a eficiência entre custo orçado e o realizado. Um ponto que vale destacar é que os nossos clientes mais eficientes e com a gestão mais afinada utilizam estes índices de eficiência para pagar comissões para o avaliador.

Dentro do Sances Turbo DMS tem um relatório que demonstra:

  • A eficiência em relação a despesas de manutenção (Orçado X Realizado)
  • A precisão de previsão de valor de venda do veículo (Estimado X Realizado)

Uma coisa é certa. Você só consegue melhorar um processo quando ele existe e quando ele é medido. Senão não passa de “achismo” e decisões sem parâmetros consistentes.

Fluxo de Processo

Uma gestão eficiente da oficina exige conhecimento das diversas situações que podem ocorrer no dia a dia.

Para isso é importante você montar um fluxo de processo, que oriente e dê uma visão clara para todo o time de qual o próximo passo, ou quais os caminhos possíveis para cada situação.

Procuramos criar um fluxo com as melhores práticas para a manutenção de veículos em estoque do mercado, e o que observamos em nossos melhores clientes para te orientar.

Conte pra gente seus resultados nos comentários, vamos ficar muito felizes com seu feedback!

Manutenção de veículos em estoque