O post de hoje vai abordar um assunto muito importante, principalmente quando se fala de resultados e alcançar as metas na concessionária.

Para entender o que eles fazem, você precisa saber quem eles são…

A pergunta sobre o que faz um consultor pode ter dois tipos de resposta.

A primeira delas, é claro, descrevendo suas atividades. A segunda, talvez refletindo mais a realidade, onde se limita a dizer que nele está a esperança de salvação da Concessionária.

Afinal, tal profissional é lembrado quando a situação já não parece ser das melhores, e o fracasso é quase uma questão de tempo.

Por isso, não se prenda à ideia de que precisa estar na pior para receber uma consultoria para concessionária, há também muitas razões para ter quando o negócio vai bem.

Mas aí o pequeno empresário pode olhar para a necessidade permanente de economia e pensar:

“Se cheguei até aqui sozinho, por que preciso de ajuda agora?”.

Faz sentido para você?

Pois é, exatamente em momentos como esse que ter um conselho profissional e especializado faz toda a diferença…

Ao longo deste post você encontrará um vídeo para avaliar se é a hora de buscar uma consultoria para concessionária e seu alinhamento empresarial.

A análise antes da decisão

tomada de decisão na empresa costuma ser um momento delicado, principalmente quando o que se avalia é um passo tão importante, como:

  • Abrir uma filial,
  • Lançar um novo produto,
  • Dar uma guinada nos negócios
  • Ou buscar empréstimo para sair do vermelho.

Agora, você já começa a entender o que faz um consultor, certo?!

Consultor é o profissional que tem domínio em um assunto específico e usa seu conhecimento para ajudar outras pessoas.

Ele lida diariamente com o desafio de encontrar os problemas e sugerir soluções, por isso é muito importante que acima de tudo ele tenha uma visão analítica e desenvolvida.

Com isso a tendência é que ele se torne o braço direito do gestor da concessionária.

Mas a gestão de uma concessionária envolve um conjunto de fatores estratégicos, que precisam estar alinhados de forma eficiente.

Assim, a concessionária conseguirá se manter lucrativa em um mercado cada vez mais competitivo e dinâmico.

Para alcançar esse objetivo, são necessários gestores experientes e capacitados, que entendam profundamente os processos da concessionária e o seu posicionamento no mercado.

Entretanto, algumas situações pontuais podem requerer soluções externas, seja por questões de custos, falta de tempo ou de expertise dos gestores internos.

Mas qual o papel do consultor no meio disso tudo, afinal?

O papel de um consultor

O consultor, independentemente da área de atuação, tem como objetivo auxiliar a concessionária em um assunto que ele não tem conhecimento suficiente para resolver sozinho.

O que define quem você contratará é a autoridade que o consultor possui naquele nicho para suprir suas necessidades.

Bom, o papel de um consultor é bem amplo, mas essas são algumas de suas principais funções:

  • diagnosticar problemas ou aspectos que podem ser otimizados;
  • definir as soluções e melhorias que devem ser feitas;
  • estabelecer metas;
  • traçar caminhos para alcançar os resultados.

Um dos problemas mais comuns na contratação de uma consultoria para concessionária é justamente essa

  • O gestor não tem tempo para estudar e implementar um novo processo ou otimização, mas precisa daqueles resultados para alcançar suas metas.

Fazendo uma analogia simples:

É como se você estivesse realizando malabarismo com 4 laranjas e sua meta fosse conseguir realizar com 6. Se fosse possível, o consultor seria a mão extra para facilitar sua vida, já que você não pode parar de jogar as 4 laranjas que já estão no ar para jogar apenas as duas novas.

 

As etapas do trabalho de um consultor

Como a gente viu até agora já sabe que o consultor analisa a área de atuação na concessionária para detectar pontos que precisam ser melhorados e melhor estruturados, para isso, são utilizadas diversas metodologias e ferramentas, como, por exemplo:

  • Análise SWOT,
  • Matriz GUT,
  • 5W2H,
  • PDCA,

Existem muitos outros métodos para fazer essas análises, a gente até tem um post aqui no blog falando especificamente sobre o Ciclo PDCA, e eu vou deixar linkado aqui para você complementar seu estudo ou aprofundar melhor o conteúdo ok?!

 

Planejamento Estratégico da Concessionária: Ciclo PDCA

 

A partir disso fica totalmente a critério do consultor saber qual dessas ferramentas ele vai usar.

O consultor segue algumas etapas a partir disso, como:

1- Diagnóstico

O primeiro passo é realizar uma avaliação detalhada dos processos da concessionária, principalmente para entender como funcionam todos os setores.

Também é realizada uma pesquisa de mercado para coletar informações sobre os principais clientes, fornecedores e concorrentes.

Assim, o consultor já identifica pontos que merecem mais atenção e que podem ser otimizados.

2- Plano de Ação

A partir do levantamento de dados e das falhas identificadas no diagnóstico, o consultor elabora um plano de ação, com as principais mudanças a serem implementadas, bem como o tempo necessário e os responsáveis pela execução.

Ele também cria um cronograma para que os gestores possam acompanhar e avaliar a execução do plano.

3- Execução do Plano de Ação

Nesta etapa são colocadas em práticas as ações que foram determinadas no planejamento da etapa anterior, de acordo com o cronograma estabelecido.

É essencial que o consultor tenha o apoio dos gestores para que todos participem do processo de mudança e que esta esteja alinhada com a cultura organizacional da empresa.

4- Acompanhamento da execução e geração de novas ações

Após a implementação das mudanças e a realização dos ajustes necessários para atender às necessidades da concessionária, o trabalho do consultor está quase concluído.

Nesta etapa, a organização deve absorver as mudanças realizadas, tornando-as rotinas e novos processos.

O consultor já pode apresentar os primeiros resultados da consultoria, através de indicadores de desempenho, previamente definidos.

5-  Monitoramento e relatório de ação

Esta é a última etapa da consultoria. Nela, o consultor monitora o efeito e os resultados de cada mudança implementada na organização.

Esse acompanhamento é feito através de reuniões, revisões das metas e novas adequações quando necessárias.

Assim, o consultor garante que os objetivos definidos para a consultoria sejam alcançados.

Ao final do processo é muito importante a geração de um relatório de ação para entendimento e acompanhamento de todo processo.

 

Tipos de consultoria 

Existem muitos ramos nos quais os consultores atuam, uma vez que percebemos o fato da consultoria ser específica e voltada para uma especificidade os métodos e desenvolvimentos são diferentes, principalmente por se tratar de pontos específicos onde as diferenças são brutas. por isso depende muito da área de atuação, vejamos:

1. Consultoria de vendas

Esse tipo de consultor costuma ser contratado para ajudar no aumento do faturamento e na otimização dos processos de vendas de uma empresa ou empreendimento.

A contratação pode acontecer porque a equipe não está alcançando os resultados esperados, a empresa quer implementar um novo jeito de abordar o cliente ou porque precisa colher frutos mais expressivos em um curto período de tempo.

2. Consultoria de marketing

Se para os usuários já é difícil acompanhar tantas novidades tecnológicas, imagina para a concessionária, que precisa planejar detalhadamente cada ação de marketing realizada.

O consultor de marketing é quem pode ajudar seu cliente a identificar melhor o perfil de seu público, traçar as melhores estratégias para se destacar no mercado e alavancar as vendas.

Ele trabalha na construção de planos para aumentar o alcance de audiência, no estudo de concorrência, sugestões de conteúdo e canais de comunicação ideais para cada ação.

3. Consultoria do financeiro

O consultor é o profissional preparado para auxiliar a concessionária a lidar de forma mais saudável com o dinheiro.

Ele trabalha ajudando a concessionária no controle de finanças, escolha e realização de investimentos, recuperação de problemas financeiros, entre outras questões que envolvam a gestão do dinheiro.

Nem sempre o motivo de um negócio desandar é a falta de dinheiro. Muitas vezes, o que acontece é a falta de conhecimento sobre o assunto, dificuldade para ajustar a receita aos gastos ou incompreensão das oscilações do mercado.

4. Consultoria de gestão empresarial

Muitas concessionárias recorrem a um consultor terceirizado para ajudar na melhoria de seus processos internos. Isso acontece não por falta de confiança em sua própria equipe, mas por necessidade de um olhar de fora, que seja capacitado para lidar com uma situação atípica e específica.

Um bom consultor de gestão empresarial consegue enxergar o que nem sempre é visto pelos funcionários, já que estes estão muito envolvidos na rotina e nas demais exigências do trabalho.

5. Consultoria de recursos humanos

A área de recursos humanos tem ganhado cada vez mais visibilidade dentro das concessionárias. No entanto, nem todas têm o conhecimento necessário para implementar os melhores processos de treinamento, desenvolvimento e gestão de pessoas. Nesses casos, o consultor assume a responsabilidade de contribuir para que os objetivos organizacionais sejam alcançados.

Esse tipo de consultor deve ajudar na implementação de procedimentos mais assertivos, para que os profissionais estejam devidamente capacitados e motivados para entregar os resultados esperados pela organização.